Tuga tinto. Um vinho de Angola com envelhecido em cascos de cavalo

Diário: Prova de vinho

Prova de vinho a martelo à volta de África

Tuga tinto. Um vinho de Angola com envelhecido em cascos de cavalo

Tuga tinto. Um vinho de Angola com envelhecido em cascos de cavalo.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Viajar é ganhar novos hábitos. Por mais manhosos que eles sejam. Quando bebemos no Mali o primeiro vinho a martelo – quase sempre espanhol, com nomes pomposos e sabores hediondos, não sabíamos que este ano também seria uma longa prova de vinhos a martelo.

Na generalidade de África chega o refugo do refugo europeu, até porque os africanos com poder de compra, apanham aviões para a Europa ou países ricos africanos quando se querem encher de produtos finos e luxuosos.

O vinho é quase todo em pacote, aguado, às vezes adocicado e dá sempre um arrepio no primeiro golo. Mas depois até escorrega bem, principalmente nos campismos selvagens onde nos afaga a alma e faz bem à circulação sanguínea.

Para explicar a baixo nível onde chegámos, um dia no Congo Brazzaville vimos numa loja um pacote pequeno de Camilo Alves – que em Portugal serve para temperar bifes – provámos e soube-nos a vinho premiado!

É incrível o poder de uma viagem: até as papilas gustativas conseguem ser domesticadas.

Venham mais!

Por Carlos Carneiro (filho)

Gandia “Vin Rouge Qualité Superieure”. Camarões: deixa um travo suave a Quimigal nos palatos superioris.

Gandia “Vin Rouge Qualité Superieure”. Camarões: deixa um travo suave a Quimigal nos palatos superioris.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Barón de Madrid, um campeão encontrado no Gana! Mais que um vinho a martelo, é um vinho a martelo pneumático. Agridoce até à agonia.

Barón de Madrid, um campeão encontrado no Gana! Mais que um vinho a martelo, é um vinho a martelo pneumático. Agridoce até à agonia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tio Bota, um vinho do Gabão com um pacote que parece leite chique. Tão bom que quase não era aguado.

Tio Bota, um vinho do Gabão com um pacote que parece leite chique. Tão bom que quase não era aguado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Vino tinto de mesa”, ora aqui está algo despretensioso, assumido e enfiado num pacote humilde… até que estragam tudo quando diz no topo - “de las mejores uvas españolas”, e escondem a sua magnífica casta.

“Vino tinto de mesa”, ora aqui está algo despretensioso, assumido e enfiado num pacote humilde… até que estragam tudo quando diz no topo – “de las mejores uvas españolas”, e escondem a sua magnífica casta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gandia, mais um vin de qualité superieure que nos transforma o fígado em iscas.

Gandia, mais um vin de qualité superieure que nos transforma o fígado em iscas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Camilo Alves, como um vinho para temperar bifes se transforma num vinho finíssimo ao paladar. Viva Portugal!

Camilo Alves, como um vinho para temperar bifes se transforma num vinho finíssimo ao paladar. Viva Portugal!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Casanova, o nome diz tudo – um vinho arrebatador, galã e que nos deixou a seus pés.

Casanova, o nome diz tudo – um vinho arrebatador, galã e que nos deixou a seus pés.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixar uma resposta